quinta-feira, outubro 27, 2005

Eu espero-te

Ele mantém-se distante.
Se ao menos com um olhar me brindasse...
Hoje necessitava que me ensinasses a compaixão. De vez em quando perco as sementes que me deixaste, mas nunca esqueço que estás comigo, pois jamais permitirias.
Se é assim que pretendes chegar até mim, pois bem! Eu espero-te!

1 Comments:

Anonymous Jorge Silva said...

Não fiques triste, brevemente acaba a Cruzada e o guerreiro regressará a Casa.

27/10/05 20:59  

Enviar um comentário

<< Home