quinta-feira, julho 28, 2005

Procuro
Nas ondas do mar
O aroma da tua presença
Que quero tanto amar.
E voltando a ser criança
Construo castelos no ar.

Procuro
Na frescura dos jardins
As tuas mãos esguias
Que ensinadas por mandarins
Me enlevam às suas magias.

Procuro
Entre a multidão
O rasto do teu corpo
Que de recordação
Me deixou tanto, e tão pouco.

Cláudia Vaz Antunes
1996

1 Comments:

Anonymous caprin said...

já tinha notado o teu gosto pela poesia. aliás... tu mesma o tinhas referido, mas não te sabia poetisa.

adorei...

9/4/07 16:02  

Enviar um comentário

<< Home